Trotskismo X Leninismo / Harpal Brar (PDF – 8 partes)

Índice, Apresentação e Prefácio:

Capítulos 1. Introdução à Parte I, 2. Partido do Proletariado, 3. Teoria da Revolução, 4. Conclusão da Parte I:

Capítulos 5. Socialismo em um Só País, 6. Coletivização – A construção do Socialismo no Campo:

Capítulos 7. Introdução, 8. Terrorismo, 9. Destruição, Diversionismo e Sabotagem, 10. Acordos Traiçoeiros com o Fascismo, 11. O Aspecto Militar da Conspiração – Planos para um Golpe de Estado, 12. Críticas Burguesas dos Julgamentos de Moscou e Contestação dessas Críticas:

Capítulos 13. O Trotskismo em Relação ao Movimento Comunista Internacional, 14. Por que a Oposição Trotskista na União Soviética Cometeu o Tipo de Erros que Cometeu em Relação à Revolução Chinesa?, 15. A Concepção de Frente Única que o Comintern Transmitiu ao PartidoComunista Chinês:

Capítulos 16. O Pano de Fundo da Guerra Civil Espanhola, 17. A Formação da Frente Popular e o Curso da Guerra:

Apêndice 1 (O testamento de Lenin):

Apêndice 2 (Trotsky e a Imprensa Imperialista):

Anúncios

Trotskismo X Leninismo, de Harpal Brar — Prefácio

imagens-livros-normal-lv247001_n-1

Traduzido diretamente da versão original (http://www.mltranslations.org/Britain/trotvslenin.htm)

Prefácio
Um dos mitos perpetrados por trotskistas, com ajuda considerável da burguesia imperialista, é o de que o leninismo e trotskismo são sinônimos; que Trotsky foi, depois de Lenin, o mais brilhante e maior bolchevique (alguns até acrescentam que Lenin foi um grande trotskista); que Trotsky foi o verdadeiro herdeiro do leninismo e digno sucessor de Lenin, porém teria sido desprovido de seu lugar de direito pelas manobras astutas de uma mediocridade de terceira classe e um déspota oriental de botas, isto é, Joseph Stalin. Este mito anticomunista, repetido ad nauseam década após década, na forma de Goebbels, não apenas em publicações trotskistas mas também em salas de aula por professores pequeno-burgueses e professores de História e Sociologia, para não mencionar a imprensa e mídia eletrônica imperialistas, este mito adquiriu a força de um preconceito público. Esse preconceito é produto da distorção e falsificação, pelo trotskismo e seus aliados burgueses, do marxismo-leninismo, de deliberadas invenções, decepções, insinuações, omissões e interpretações tendenciosas da história da Grande Revolução de Outubro e da prática e do papel revolucionários da URSS, por um lado, e a ignorância daqueles sobre os quais estas mentiras, distorções e completas falsificações, por outro. Qualquer pessoa que tenha realizado algum estudo, sem falar em estudos profundos, do tema não pode se não estar atento à total falsificação desse mito.

Continuar lendo