Natureza humana

Tradução de um artigo que li no International Socialist Review. Ele se inicia com um post que apareceu dia 31 de julho de 2007 no blog Darwinian Conservatism, por Larry Arnhart. Depois, há a resposta de Phil Gasper. Seguem os textos.

“Humanos instintivamente buscam o poder”, por Larry Arnhart

A edição de julho / agosto da International Socialist Review tem um artigo escrito por Phil Gasper criticando meu argumento de conservadorismo darwiniano.

Gasper insiste que Karl Marx e Friedrich Engels aceitaram a ciência de Darwin, o que mostra que a ideologia da esquerda socialista é compatível com o darwinismo. Mas Gasper não diz a seus leitores que Marx e Engels criaram uma dicotomia entre a natureza animal e a cultura humana, de modo que eles poderiam dizer que a ciência darwiniana explica o mundo natural dos animais e do corpo humano, mas não o mundo exclusivamente humano da história cultural . Embora outros animais tenham alguma capacidade para o trabalho, Marx afirmou que somente os seres humanos tem a capacidade para o trabalho intencional sobre o mundo para estar de acordo com algum plano na imaginação. Ao mudar o mundo natural para satisfazer suas necessidades, o homem também “muda sua própria natureza.” Isso permite a Marx proteger sua visão utópica de perfectibilidade socialista de ser subvertida pelo naturalismo darwiniano. Essa mesma tendência socialista de olhar o ser humano como capaz de uma liberdade utópica transcendente da natureza se manifesta na atração de Gasper à visão de Stephen Jay Gould da liberdade transcendental humana.

Continuar lendo

Anúncios