Grover Furr — Leitura (a)crítica e o discurso do anticomunismo

Grover Furr é professor de História e Literatura Inglesa na Universidade de Montclair, New Jersey.

Publicado em The Red Critique, número 11.

Ainda que oficialmente a Guerra Fria havia terminado, o anticomunismo está muito vivo e presente em todos os tipos de discursos—críticos, históricos e políticos—, gozando de uma grande influência tanto no mundo acadêmico como na sociedade em geral. Durante cerca de três décadas ou mais, o comunismo funcionou como o grande inominável na pós-estruturalista “guerra contra a totalidade”. Os ataques contra o “logocentrismo” do “racionalismo ocidental” foram usualmente dirigidos contra o legado burguês do Iluminismo, mas se analisarmos a linguagem destes ataques, Marx vai aparecer no ponto de vista tanto ou mais que Locke e Rousseau.

Continuar lendo

Muro de Berlim — Parte 3 — O envolvimento da CIA; mais informações sobre as origens do Muro

Muro de Berlim, parte 1: https://iglusubversivo.wordpress.com/2011/08/11/muro-de-berlim-1/

Muro de Berlim, parte 2: https://iglusubversivo.wordpress.com/2011/08/11/muro-de-berlim-2/

“The Anti-Empire Report”, 28 de julho de 2011

por William Blum

O Muro de Berlim – Outro mito da Guerra Fria

A mídia ocidental em breve estará acelerando seus motores de propaganda para formalizar o 50 º aniversário da construção do Muro de Berlim, em 13 de agosto de 1961. Todos os clichés da Guerra Fria sobre O Mundo Livre contra A Tirania Comunista serão usados e o simples conto de como o muro veio a surgiu será repetido: Em 1961, comunistas de Berlim Oriental construíram um muro para evitar que seus cidadãos oprimidos fugissem para Berlim Ocidental e para a liberdade. Por quê? Porque os comunas não gostam que as pessoas sejam livres, que aprendam a “verdade”. Que outra razão poderia haver?

Primeiro de tudo, antes da construção do muro milhares de alemães orientais tinham viajado para o Ocidente para trabalhos a cada dia para, em seguida, retornar ao Oriente, à noite; muitos outros iam e vinham para fazer compras ou outras razões. Então eles claramente não estavam sendo segurados no Oriente contra a sua vontade. Por que, então foi o muro construído? Houve duas razões principais:

Continuar lendo