(AND – A Nova Democracia) Figuras da Classe Operária – 2ª parte

Leia a parte 1: https://iglusubversivo.wordpress.com/2011/08/15/figuras-da-classe-operaria-1/

João Carlos Haas Sobrinho
Militante do Partido Comunista do Brasil – PC do B

https://i0.wp.com/www.anovademocracia.com.br/78/13-b-Haas.jpg
João Carlos Haas quando trabalhava como médico em Porto Franco, GO

Nasceu em 24 de junho de 1941 em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

Destacava-se pelo empenho nos estudos e pelo seu ativismo, foi membro de inúmeros grêmios estudantis. Em 1959, ingressou na Faculdade de Medicina da UFRGS, formando-se em dezembro de 1964.

Presidiu a União Estadual dos Estudantes – RS e o Diretório Acadêmico da Faculdade de Medicina da UFRGS.

Continuar lendo

Anúncios

(AND – A Nova Democracia) Figuras da Classe Operária – 1ª parte

Leia a parte 2: https://iglusubversivo.wordpress.com/2011/08/15/figuras-da-classe-operaria-2/

Pedro Ventura Felipe Pomar

23 de setembro de 1913
Trechos do “depoimento de um amigo”, por Arnaldo Mendez *

10-pedro-pomar.jpg (199×234) Cabe neste relato um esclarecimento: trata-se de depoimento de quem nunca pertenceu aos quadros do Partido, e simplesmente, mesmo em períodos de legalidade e clandestinidade, foi amigo pessoal de Pedro. Hoje, que a tragédia de sua morte se abateu sobre nós, é necessário que se diga quem foi Pedro, mesmo àqueles que não participaram de nada como revolucionários.

É necessário também que se diga que com a chacina de que foi vítima, a ditadura pretendeu atingir o melhor dos revolucionários. Eles sabiam quais os homens que realmente ofereciam perigo às suas injustiças, ao seu regime de terror. Se pensam que a chacina apaga a história de nosso povo, estão enganados. Antes mesmo de ser chacinado, Pedro já estava na História. Agora, estará para sempre em nossa memória.

Conheci Pedro por volta de 1960, quando me foi apresentado por uns amigos que dirigiam o Partido numa região pobre de São Paulo. Pedro chegara com a família para morar numa pequena casa. Para ganhar o sustento traduzia livros. Lembro-me que traduzira De Moncada à ONU, de Fidel Castro, e Ascensão e Queda do III Reich, e iniciara um livro inacabado, O Estado Brasileiro.

Continuar lendo