A Revolução Maoísta no Tibete — Parte 2

Assalto ao Céu

Revolutionary Worker # 944, 15 de fevereiro de 1998

Trazendo a Revolução ao Tibete

Em 1949, o Exército de Libertação Popular de Mao havia derrotado todos os principais exércitos reacionários na China central. O dia dos pobres e dos oprimidos havia chegado! Mas as grandes potências do mundo estavam se movendo rapidamente para esmagar e “conter” essa revolução. As tropas francesas invadiram o Vietnã, ao sul da fronteira da China. Em 1950, uma enorme força invasora dos EUA arrasaria a Coreia com planos para ameaçar a China.

As montanhas ocidentais e as pradarias das áreas fronteiriças da China são habitadas por dezenas de diferentes agrupamentos nacionais, cujas culturas são diferentes da maioria dos povos Han da China. Uma dessas regiões, o Tibete, havia sido governada localmente como um reino isolado e “à prova d’água” por uma classe de servos, liderados pelos abades dos grandes mosteiros budistas lamaístas. Durante a guerra civil chinesa, a classe dominante do Tibete conspirou para criar um estado falso “independente” que estava na verdade sob a ala do colonialismo britânico.

Continuar lendo