Julho

Índia

Jovens são forçados a servir nas hostes da reação

Com informações de odiodeclase.blogspot.com

Após a demanda apresentada pelo ativista social Nandini Sundar, o historiador Ramachandra Guha e o antigo alto funcionário E.A.S. Sharma, no dia 4 de julho o Supremo Tribunal emitiu sentença ordenando ao governo de Chhattisgarh que pare com o recrutamento de adivasis como membros das “Forças Especiais de Polícia” (SPO — sigla em inglês).

O governo obrigava esses povos tribais a tomarem armas sob o pretexto de “combate aos maoístas”.

Como parte de sua campanha odiosa de combate à guerra popular, aos camponeses e povos tribais da Índia, o governo intensificou o recrutamento forçado de jovens adivasis para as SPO.

Um comunicado do Partido Comunista da Índia (maoísta), publicado em 7 de julho, denunciou que muitos membros das SPO não se alistaram por vontade própria, mas foram obrigados devido a uma série de pressões, outros foram detidos, espancados, ameaçados de morte e incorporados desse modo às forças de repressão. Os maoístas afirmam ainda que alguns membros das SPO sequer têm consciência de que são utilizados como peões na brutal campanha de terror e violência desencadeada pela grande burguesia.

O comunicado do PCI (maoísta), assinado por Usendi, porta-voz do comitê zonal especial de Dandakaranya, finaliza fazendo um chamamento a todos os membros das SPO para que saiam desse círculo vicioso e rompam com a propaganda dos governos exploradores.

Ataque contra agente do velho Estado

Com informações de odiodeclase.blogspot.com

https://i0.wp.com/www.anovademocracia.com.br/80/20a.jpg
A enorme cratera foi consequência do ataque do EGLP ao comboio que transportava o presidente do Partido do Congresso, em Chhattisgarh

Quatro pessoas morreram e cinco ficaram feridas após um ataque do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação — EGPL, dirigido pelo PCI (maoísta), que explodiu uma ponte na região de Gariyabandh, em Chhattisgarh, região central da Índia. O ataque ocorreu no dia 20 de julho, logo após a passagem de um comboio que transportava Nandkumar Patel, presidente do Partido do Congresso, força integrante do velho Estado.

Um veículo que escoltava o comboio foi atingido em cheio pela explosão e, posteriormente, seus integrantes foram alvo dos disparos dos guerrilheiros. Apesar de a escolta ter sido atingida, Nandkumar Patel saiu ileso desse ataque.

Em dois ataques guerrilheiros realizados no dia 23 de julho, combatentes do EGPL justiçaram dois agentes da reação, incluindo um oficial das SPO na região de Bastar, estado de Chhattisgarh.

Protestos em Bengala Ocidental contra atrocidades policiais

Com informações de odiodeclase.blogspot.com

O Comitê Popular Contra as Atrocidades Policiais e outras organizações populares realizaram um protesto em Jhargram e Calcutá, Bengala Ocidental, contra a “operação Caçada Verde” e denunciaram a brutal repressão desencadeada pelo velho Estado contra os povos tribais, camponeses e naxalitas (como são conhecidos os maoístas na Índia).

Os manifestantes acusaram o ministro-chefe de Bengala Ocidental, Mamata Banerjee, de traição por não cumprir suas promessas de libertar os líderes do Comitê Popular Contra as Atrocidades Policiais presos e de retirar as forças de repressão das regiões de selva.

Em Calcutá, defensores dos direitos dos povos tribais enfrentaram a polícia. Os manifestantes exigiam a libertação imediata de 12 militantes da Frente Democrática Unida Estudantil que foram detidos durante os protestos. Um boneco do ministro-chefe foi queimado e uma estrada de acesso à universidade local foi bloqueada pelos manifestantes.

Filipinas

Guerrilheiros atacam edifício policial

Com informações de dazibaorojo08.blogspot.com

Na noite de 14 de julho, combatentes do Novo Exército do Povo — NEP, dirigidos pelo Partido Comunista das Filipinas, atacaram o prédio da Administração Penitenciária e Criminologia de Catbalogam, em Samar, região que compõe a parte central do arquipélago das Filipinas.

Cerca de 25 guerrilheiros dominaram o prédio por 10 minutos e expropriaram armas e equipamentos para a guerra popular.

Uma operação de buscas montada pelas forças de repressão não foi capaz de seguir os combatentes do NEP que se retiraram para a mata.

Mineradora ianque incendiada

Com informações de dazibaorojo08.blogspot.com

Em 18 de julho, combatentes do NEP incendiaram as instalações de uma mineradora ianque em Pantukan, no Vale de Compostela.

Cerca de 30 guerrilheiros desarmaram os seguranças e despejaram gasolina nas instalações antes de atear fogo.

Estima-se que a empresa sofreu um prejuízo de 10 milhões de dólares com o incêndio.

Foi o segundo ataque da guerrilha contra a empresa que começou a operar na região no princípio desse ano.

Exitosa ação liberta comandante do NEP

Com informações de dazibaorojo08.blogspot.com

Em 21 de julho, um grupo de cerca de 200 combatentes do Novo Exército do Povo libertou um de seus comandantes em uma exitosa ação na região de Mindanao.

Segundo o diretor adjunto de instituições penitenciárias do norte de Mindanao, Clint Russel Taghiris, um comboio de oito veículos transportava oito detentos, entre eles Dennis Rodenas, quando os guerrilheiros cercaram os carros e libertaram os presos.

Os guerrilheiros ainda tomaram as armas dos guardas para a guerra popular.

Turquia

Velho Estado aumenta repressão aos curdos

Com informações de odiodeclase.blogspot.com

Na noite de 18 de julho, uma grande operação foi desencadeada pelas forças de repressão do velho Estado turco na região de Dersin, na província de Pulumur. Dersim é a região da Turquia em que se encontra o Curdistão turco.

Cerca de quatro mil militares fazem parte da campanha de repressão contra o Partido Comunista da Turquia Marxista/Leninista — TKP M/L e o Exército de Libertação dos Operários e Camponeses da Turquia — TIKKO.

Na semana que antecedeu a operação militar da reação, ocorreram vários enfrentamentos entre as forças da reação e forças unidas do TKP M/L e do Partido dos Trabalhadores do Curdistão — PKK.

Dois militares das forças reacionárias morreram nesses enfrentamentos e vários ficaram feridos.

No último período, o PKK e o TKP M/L atacaram postos policiais e quartéis do exército reacionário e deixaram vários agentes das forças de repressão feridos.

Em vários distritos de Dersim ocorrem protestos populares contra a campanha de repressão promovida pelo velho Estado.

Peru

Dois militares mortos em ação do EGPL

Com informações de Correo Vermello

https://i0.wp.com/www.anovademocracia.com.br/80/20b.jpg
Dois militares mortos em ação do EGPL

No dia 20 de julho, uma emboscada empreendida pelo Exército Guerrilheiro Popular, dirigido pelo Partido Comunista do Peru — PCP deixou dois militares do exército reacionário mortos e outros dois severamente feridos.

O próprio Comando Conjunto das Forças Armadas informou o resultado da ação que foi levada a cabo no distrito de Llochegua, no Vale dos Rios Apurímac e Ene — Vrae, no departamento de Ayacucho.

Os militares mortos integravam os contingentes da base “Unión Mantaro”, especializada em combate à guerra popular e repressão às massas camponesas da região.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s