RSS

PCR, PACIFISMO E LEGALISMO RUMO A “REVOLUÇÃO” ELEITORAL BURGUESA

18 set

Do blog http://bocadecaera1.blogspot.com

Porque não votar e não acreditar nas eleições burguesas? 

Votar ou não nas eleições burguesas, por si só, não irá definir o princípio de ser ou não comunista, pois, sabe-se que durante um período da histórica luta de emancipação ideológica do proletariado, os comunistas tiveram participação ativa nos parlamentos, tribunas, dumas e sufrágio de todas as espécies, mas isto foi necessário num período em que era preciso definir a linha política e ideológica da doutrina revolucionária que surgia, o marxismo, para não se misturar com as teorias miseráveis dos anarquistas, populistas e socialistas utópicos.
Marx e Engels usufruíram das tribunas parlamentares para difundirem as teorias marxistas pelo mundo. Os camaradas russos se aproveitaram da quarta duma, uma espécie de parlamento para os “trabalhadores russos”, para denunciar os abusos da oligarquia Czarista.
Porém, como o próprio Lênin alertava: “Fora o poder tudo é ilusão.” E que a quarta duma era uma migalha e não servia aos interesses dos trabalhadores. Na China, não se teve tantas oportunidades de poder falar em tribunas e parlamentos, os companheiros chineses tiveram que empreender sua ideologia revolucionária através de uma atividade intensa direta no seio das massas, rechaçando todas as ilusões que o Kuomintang espalhava ao povo, sobre a idéia de uma transição pacífica pela via eleitoral rumo ao socialismo, o PCCh mostrou que só se pode alcançar o socialismo através da guerra popular prolongada e irreconciliável aos interesses da burguesia. Então, o próprio chefe da revolução chinesa, o presidente Mao Tsetung, afirmou que “O poder nasce do fuzil!”.
Desde a comuna de Paris (1871), Revolução russa (1917) e revolução chinesa (1949) que o mundo teve a oportunidade de conhecer as idéias e as práticas do marxismo, e entender que ser comunista é essencialmente ser um revolucionário. Assumir tal condição é um ato de consciência, se sustentar nesta idéia é um gesto de bravura. Dadas as circunstâncias, após diversos combates travados pelos autênticos comunistas brasileiros é inadmissível avaliar que as eleições burguesas atuais ainda sirvam de alguma forma os interesses da revolução democrática ininterrupta ao socialismo no Brasil.
Qualquer um dos canalhas que ganharem este jogo eleitoreiro não irá mudar a condição de nação capitalista burocrática semifeudal controlada pelo imperialismo ianque, na qual o Brasil se encontra. E sustentar qualquer ilusão neste processo eleitoreiro é trair a luta de todos aqueles que um dia verteram seu sangue em busca de uma sociedade justa e democrática.
O período, aparentemente, “pacífico” em que vivemos é um período de organizar as massas para tomar o poder e não enganá-las no mais reles cretinismo parlamentar eleitoreiro.
O que se tornou o partido que mais se aproximou do entendimento do processo revolucionário brasileiro e hoje se encontra no charco mais imundo do oportunismo eleitoreiro? 

Num período onde o oportunismo eleitoreiro e a covardia pacifista tomaram conta do PCB, foi criado o PCdoB para retomar a revolução brasileira, que é papel de todos os comunistas sérios. A idéia de concentrar forças na região do Araguaia foi amplamente criticada pelos companheiros Manoel Lisboa, Emmanuel Bezerra e outros. Segundo eles, o local escolhido era isolado e não favorecia ao desencadeamento de uma revolução, além do próprio povo da região não ter um histórico de luta.
Assim, após a derrota no Araguaia e o assassinato das principais lideranças revolucionárias do PCdoB (Pedro Pomar, Mauricio Grabois e outros), na Lapa-SP em 1976, o PCdoB também é arrastado para a lama graças ao revisionismo de João Amazonas, que modificou todo o estatuto do partido colocando o mesmo sobre as consignas de legalismo, pacifismo e participação nas eleições burguesas, tudo foi aprovado num congresso arranjado na Albânia, onde Amazonas vivia na condição de exilado político.
Então, Manoel Lisboa cria a carta de 12 pontos que fundamenta as bases do Partido Comunista Revolucionário-PCR. A carta autêntica, e não a que o atual Comitê Central do PCR mostra por aí, é o documento mais completo sobre o processo revolucionário no Brasil da época. Apesar, de também ter falhas que agora são possíveis entender melhor que antes, como a contradição imperialismo/nação oprimida que Manoel Lisboa via como a contradição principal do povo brasileiro, mas sabe-se que para resolver as contradições externas, primeiro é necessário resolver as contradições internas, assim a contradição interna principal que sustenta toda a base exploração da grande burguesia e dá brecha a invasão imperialista é o sistema latifundiário, colocando a contradição latifúndio/camponês pobre como a principal e imperialismo/nação oprimida como secundária.
Após vários anos de resistência e combatividade, os bravos revolucionários foram brutalmente torturados e executados pelo gerenciamento militar fascista brasileiro. Tombaram na esperança de que um dia sua memória seria honrada e a luta continuaria, porém os que hoje fazem parte das fileiras do PCR apóiam candidatos ao processo eleitoral burguês e usam argumentos oportunistas para iludir as massas, como um de seus principais teóricos; Lula Falcão, que afirma: “Já a vitória de Dilma nas eleições, embora não signifique nenhuma grande mudança em favor dos trabalhadores, será mais uma derrota para a extrema direita e seus planos golpistas e para o imperialismo norte-americano interessado em aniquilar qualquer rebeldia na América Latina. Permitirá assim, melhores condições para seguirmos nossa caminhada para construir uma poderosa organização revolucionária e organizar a classe operária e o povo na luta contra a exploração capitalista e pelo socialismo.” * Isso é no mínimo ridículo, pois, aceitar ou compactuar com qualquer atividade que propague as eleições burguesas deste velho estado é capitular por mais uma vez a luta revolucionária do povo brasileiro e jogar na lama a história e as vidas dos honrados revolucionários.
Em fim, o PCR o partido que foi o mais avançado da revolução brasileira, e suas respectivas organizações: UJR, CORRENTEZA e o jornal A VERDADE, hoje lambe as botas de toda a camarilha oportunista que habita os redutos eleitoreiros em nosso país. Como ainda não é registrado, por uma mera formalidade, segue servindo como fiel capacho dos partidecos eleitoreiros, tais como: PT, PCdoB, PCB, PSOL, etc…
                                                                                                                   
* Trecho retirado do texto Derrotar Serra e a extrema direita e avançar na organização e nas lutas dos trabalhadores, de autoria de Lula Falcão, membro do comitê central do Partido Comunista Revolucionário-PCR.
 
15 Comentários

Publicado por em 18/09/2011 em Brasil, Marxismo, Revisionismo

 

Tags: , , , ,

15 Respostas para “PCR, PACIFISMO E LEGALISMO RUMO A “REVOLUÇÃO” ELEITORAL BURGUESA

  1. Adelino Braga Machado

    19/09/2011 at 14:49

    Muito me preocupo com os possíveis rumos a ser tomado pelo PCR,pois até então essa organização tem se destacado como unica força politica capaz de oferecer ao proletariado um caminho rumo as transformações revolucionarias que nosso pais tanto necessita. Devo confessar que em minha cidade,os camaradas que estão trabalhando na construção de um núcleo dirigente do PCR, não deixam de fazer um serio questionamento quanto a determinadas posições cujo mérito,não pretendo abordar aqui,mesmo por que ainda trataremos internamente em nossas fileiras sobre as referidas questões.Quero crer que possamos reorganizar a resistência para coibirmos a postura “revisionista” e fazermos justiça a história de nossos gloriosos Heroes que pagaram com suas vida por não se curvarem as imposições do sistema.

     
    • xSGBDx

      20/09/2011 at 00:07

      A reconstrução do PCR revolucionário de Manoel Lisboa, o verdadeiro PCR, é necessária. Porque esse tinha a capacidade de se tornar vanguarda do proletariado brasileiro; muito diferente do atual partido. Porém, mais importante ainda é a refundação do PCB revolucionário e fim das dezenas de partidos comunistas que existem por aí; e então nele buscar a união de todos os marxistas-leninistas brasileiros.

       
  2. Bolchevique

    19/09/2011 at 17:05

    A prática é o critério da verdade. Só um completo ignorante pode afirmar tanta asneira sobre o PCR. Sem contar os erros grosseiros de lógica e as falácias descaradas pra construir sua argumentação mentirosa, caluniosa e, esta sim, oportunista.

    Gostaria de saber se o autor do texto original tem acompanhado o enorme crescimento do PCR nas entidades de massas em todo o Brasil, nos DCE’s e nos diversos sindicatos que dirige, a oposição que faz na UNE e na UBES, as ocupações nos bairros, vilas e favelas, sua organização e participação em eventos políticos, acadêmicos e culturais, etc.

    E também se, por outro lado, ele é capaz de apontar um único nome no PCR que esteja no parlamento ou envolvido em atividades eleitoreiras ao invés de trabalho de massas.

    O que acontece é que o esquerdista sempre se afasta das massas, como seu mestre Trotsky. No único período em que a população brasileira vai discutir política, qual a proposta do esquerdista? Boicotar, não participar das eleições! Ao invés de orientar as massas, ele bate de frente com elas. Por isso se isolam cada vez mais, se tornando seitas políticas.

    Mas vamos ao texto.

    Primeiro ele acusa o PCR de usar “argumentos oportunistas para iludir as massas”.

    Mas ele próprio se refuta ao citar o texto do Lula Falcão, que afirma expressamente que

    “a vitória de Dilma nas eleições, embora não signifique nenhuma grande mudança em favor dos trabalhadores…”

    Reparem que a citação acabou de dizer que a eleição de Dilma não significa “nenhuma grande mudança em favor dos trabalhadores.”

    Onde está a ilusão???

    O PCR nunca teve ilusão com a Dilma. O problema é que para os trotskistas, Hugo Chavez e Pinochet são exatamente a mesma coisa, mas para os comunistas, não. Dilma e Serra se parecem, mas não representam e não significam a mesma coisa na conjuntura latino-americana.

    É preciso agudeza de percepção e tato político para fazer essa leitura, mas os maniqueístas só enxergam bem e mal – eles contra o resto.

    Imagino que o autor do texto original pertença a uma dessas entidades esquerdistas que se afastam cada vez mais das massas, que adoram posar de ultra-revolucionários mas que não dirigem nada nem ninguém. E nunca dirigirão porque sua linha política é errada.

     
    • xSGBDx

      20/09/2011 at 00:02

      Já dizia um velho “ditado” popular: tamanho não é documento. Se a popularidade de um movimento social fosse sinônimo de sua qualidade, então o PT e o PCdoB são o que há de melhor para o proletariado aqui no Brasil, já que são os partidos de esquerda mais populares. Houve um “enorme” crescimento do PCR apenas se comparar com o que esse partido era algumas décadas atrás: quase totalmente desconhecido; porém, diferente do atual, aquele – de Manoel Lisboa – era revolucionário.

      “a oposição que faz na UNE e na UBES”
      O que conseguiram para os estudantes durante anos e anos de oposição? A UNE e a UBES são entidades podres, totalmente dominadas pelos reformistas do PT e PCdoB; são entidades diretamente controladas pelo governo e seu lobby milionário. Não haveria mais benefícios aos estudantes se a UJR agisse somente fora da UNE da UBES? Ou quem sabe a UJR não seja capaz de conseguir apoio popular através de suas próprias ações, pretensamente revolucionárias – é o que parece, ao ficarem dependentes dessas organizações oportunistas.

      “as ocupações nos bairros, vilas e favelas”
      Essas organizações tem seus méritos, mas não são a vanguarda do proletariado brasileiro.

      “sua organização e participação em eventos políticos, acadêmicos e culturais, etc.”
      Nada diferente de qualquer outro partido ou movimento social com o mesmo tempo de existência. Como já expliquei, popularidade é diferente de qualidade.

      Aqui está um exemplo recente de atividade eleitoreira do PCR: http://pcrbrasil.org/eleicoes-2010/
      Sérgio Miranda, Thiago Santos, Fernanda Lopes, Indira, Emerson Lira. Siglas do PDT e PSOL.
      “A luta de Sérgio é pela redução da jornada de trabalho, pelo fim do fator previdenciário, por mais verbas para a educação e por um Brasil independente e soberano.”
      “Votar em Thiago é votar pelo poder popular e pelo socialismo!”
      “Votar em Fernanda é votar na luta por uma sociedade sem a exploração do homem pelo homem e pelos direitos da mulher.”
      “Nesta eleição, Indira é candidata a deputada estadual pelo PSOL, nº 50850. Eleger Indira é honrar a história do estado e de tantos alagoanos que deram sua vida para construir um mundo novo, como Manoel Lisboa e Odijas de Carvalho.”
      “Na Assembleia Legislativa da Paraíba, Emerson vai defender de forma intransigente os interesses dos jovens e dos trabalhadores.”
      Que raios de comunismo é esse? Só se for o dos poloneses, húngaros e tchecos contrarrevolucionários, ou de Gorbachev e Yeltsin, ou, pegando exemplos mais recentes, o de Hugo Chávez e Evo Morales. Deve ser uma nova tendência comunista essa… O comunismo reformista!

      http://mepr.org.br/jep/39-farsa-eleitoral/407-o-malabarismo-da-direcao-do-pcr-no-apoio-a-dilma-e-ao-governo-lula-.html

      Você diz que eu sou trotskysta porque me oponho ao PC”R” “refundado” e oportunista. HAHAHAHAHAHA ESSA FOI BOA. E depois eu que sou maniqueísta, né. :D

      “No único período em que a população brasileira vai discutir política, qual a proposta do esquerdista? Boicotar, não participar das eleições! Ao invés de orientar as massas, ele bate de frente com elas. Por isso se isolam cada vez mais, se tornando seitas políticas.”
      O que as eleições burguesas trouxeram de bom para as massas desde a “redemocratização”? O que mudou com a eleição de Lula e depois com a eleição de Dilma? Superficialmente, alguma coisa aqui ou ali, tudo de acordo com os ditames do capitalismo! Esse joguinho político é pão-e-circo da burguesia, a única governadora de um país capitalista, que faz a população pensar que somente trocar de governantes na política burguesa-burocrática pode produzir mudanças profundas na sociedade.

      “Primeiro ele acusa o PCR de usar “argumentos oportunistas para iludir as massas”.”
      O seu argumento anterior é um exemplo.

      “Onde está a ilusão???”
      A ilusão de fomentar a participação nas eleições, como comprovado anteriormente, mesmo “sabendo” (pelo menos no discurso, né – pois como você mesmo afirmou no início do comentário, o critério da verdade é a prática) que elas não são tão eficientes quanto dizem, para nossa luta.

      “O PCR nunca teve ilusão com a Dilma. O problema é que para os trotskistas, Hugo Chavez e Pinochet são exatamente a mesma coisa, mas para os comunistas, não.”
      Falácia do espantalho.

      “Dilma e Serra se parecem, mas não representam e não significam a mesma coisa na conjuntura latino-americana.”
      Não significam exatamente a mesma coisa, isso é totalmente lógico, nada é só preto ou branco; porém são dois representantes da burguesia liberal, um apenas um pouco mais à direita e a outra um pouco mais à esquerda.

      “É preciso agudeza de percepção e tato político para fazer essa leitura, mas os maniqueístas só enxergam bem e mal – eles contra o resto.”
      Isso aí é desculpa esfarrapada para defender a participação na política burguesa e minimizar o efeito das críticas.

      “Imagino que o autor do texto original pertença a uma dessas entidades esquerdistas (…)”
      Se você nem sabe onde milita o autor do texto como pode afirmar algo sobre ele?

       
      • Adelino Braga

        20/09/2011 at 16:51

        Penso que seria absolutamente desnecessário mergulharmos no campo dos rótulos e chavões para qualificarmos ou desqualificarmos ideias que não seja necessariamente as nossas,sempre buscamos a superação dos novos desafios impostos pelas particularidades de cada estagio de desenvolvimento histórico, sabemos como tem sido difícil nossa luta e pesado nosso fardo,não temos a exata dimensão de nossa possível contribuição a justa causa que defendemos,mas nos lançamos a luta em meio aos intrincados e aflitivos problemas que assolam o nosso povo.O atual momento lançou o desafio ao PCR e a questão é ,crescer ou ser aplastado;do crescimento ( no movimento estudantil,popular e sindical)surgiram questões novas,como por exemplo como agregar pessoas e transformar em quadros aptos a travar as lutas cotidianas? Então é imprescindível a qualquer pessoa honesta e de bom senso que deseje nos dirigir uma critica,que muitos fatores sejam levados em consideração, só assim você estará dando uma contribuição de valor inestimável para nosso povo,pelo conteúdo de suas afirmações entendi que sugere a criação de um único e forte Partido Comunista Marxista-Leninista,o Partido Comunista Revolucionário é uma organização absolutamente credenciada para aceitar mais este desafio,prova incontestável disso é o fato de que o PCR se propôs a administrar um crescimento que até então não estava pronto para suportar sem que isso pudesse representar algum perigo aos princípios que norteiam a vida politica e orgânica do partido.Penso que no momento adequado, nos do PCR nos lançaremos ao desafio proposto por você e quem sabe juntos poderemos construir uma poderosa organização, capaz de por fim ao ciclo vicioso da dominação capitalista,”PARTICULARMENTE: ESPERO QUE ISSO OCORRA ANTES QUE TENHAMOS QUE ESTAR LUTANDO PELA VIDA DENTRO DE UM CERCO MILITAR”! Então camaradas,não vamos minar o campo pelo qual transitamos carregando a bandeira da esperança de um futuro socialista! O Partido Comunista Revolucionário vive e luta!Unir o povo para derrotar a elite,essa é a tarefa que se impõe !

         
    • Adelino Braga

      20/09/2011 at 15:49

      Saudações camarada;concordo com suas afirmações sem perder de vista o fato de que o nosso PCR tem pela frente um grande desafio,ou seja,não permitir que nossa organização se transforme em um conglomerado amorfo,em respeito as instancias partidária; penso que não seria correto fazermos uso desse meio de comunicação para tratarmos de assuntos interno.Mesmo por que ao longo da historia de nosso glorioso PCR tudo sempre foi resolvido internamente,sempre prevaleceu a unidade de ação entre militantes e dirigentes, alias não poderia ser diferente pois estamos nos referindo a uma organização que se propõe a ser um partido de quadros Marxista-Leninista. Mas para todos efeitos penso que poderíamos regulamentar melhor nossa intervenção em âmbito eleitoral, só para não darmos margens a oportunistas, mesmo por que não podemos ficar apresentando elementos de partidos do “campo democrático popular e progressistas” como salvadores da pátria,se realmente o fossem, não precisaríamos nos dar ao trabalho de sofrermos inúmeras privações em nossas lutas cotidianas em prol da construção de um polo aglutinador de setores de vanguarda de nossa sociedade,sequer seria necessária a construção de um coletivo revolucionário de vanguarda.Quanto a nossa atuação a nível de MLC,entendo que ai reside uma das minhas maiores preocupações,ou jogamos com as regras do sistema,ou façamos avançar o nível de conciencia de classe de nosso gigantesco proletariado,mas ai é uma questão absolutamente interna !Não vai faltar oportunidade para tratarmos dessa questão,viva a unidade de ação dos militantes e dirigente do PCR!

       
  3. Barata

    28/09/2011 at 21:19

    Perdoe-me mas o que os maoistas estão propondo é que uma organisação pequena e em reconstrução reduza ainda mais o seu alcance político com linhas ultra-esquerdistas quase irracionais. Os slongas eleitorais dos candidatos do PCR são simples, porém não demonstram nenhum traço reacionário, ao contrario dos maoistas que gritam por ”unidade” mas fazem tudo para destrui-la, coroando sua loucura com a ilusão de que é possível criar um movimento revolucinário totalmente paralelo à realidade.

    O dever dos comunistas é fazer uma oposição ativa contra a burguesia, não construir uma cerca imaginaria e pretender que somos melhores por apenas sê-lo.

     
    • xSGBDx

      04/10/2011 at 13:48

      Quantidade de membros não significa qualidade. E comunistas, sendo revolucionários, devem conseguir o apoio popular através da militância, através da luta real e concreta ao lado do povo. A participação em eleições não leva a lugar algum; ou melhor, leva à capitulação, ao reformismo e a mais enganação, ao colocarem esperanças no processo eleitoral.

      “Decidir periodicamente, para um certo número de anos, qual o membro da classe dominante que há de oprimir e esmagar o povo no parlamento, eis a própria essência do parlamentarismo burguês, não somente nas monarquias parlamentares constitucionais, como também nas repúblicas mais democráticas.”

      “E já se pensa ter feito um progresso extraordinariamente audacioso, emancipando-se da crença na monarquia hereditária para jurar pela República democrática. Porém, na realidade, o Estado não é outra coisa senão uma máquina de opressão de uma classe por outra, e isso tanto numa república democrática como numa monarquia.”

      Sobre a questão da “unidade”, não gritamos por ela nem “fazemos tudo para destruí-la”. Quem quer “unidade” entre a extrema-esquerda e a esquerda governista é o PCR, PSTU, PCdoB e demais movimentos da UNE e UBES. Como falar em unidade com organizações que não estão nem aí para uma revolução proletária ou para a ditadura do proletariado, mas querem ao invés disso reformar o capitalismo? Isso não é uma oposição ativa contra a burguesia, camarada. Essa história de que nós queremos “criar um movimento revolucionário paralelo à realidade” é retórica falaciosa que tenta sustentar uma posição oportunista. Se uma organização que prefere não fazer parte de entidades pelegas e da máquina eleitoral burguesa está “contruindo uma cerca imaginária” e é “ultra-esquerdista”, como você diz, então devemos rotular quase todo movimento revolucionário da história de “ultra-esquerdista”.

       
      • Adelino Braga Machado

        04/10/2011 at 17:18

        Quanto a não clamar por unidade,me parece razoável se eu partir do principio que não esta se referindo a “unidade de um coletivo revolucionário de vanguarda do proletariado”;mas imediatamente devo chamar a sua atenção para o fato de que os integrantes do referido coletivo de vanguarda, hoje se encontram militando em varias organizações do campo da esquerda, justamente porque ainda não conseguimos agrupa-los sob uma unica bandeira.Se não o fizermos estaremos contribuindo para que continuem dispersos em múltiplos conglomerados amorfos travestidos de partidos revolucionários.Para vencermos essa batalha é imprescindível uma avaliação concreta de nossa intervenção nas frentes de massa,além é claro de todo um reordenamento de nossas ações táticas e se não o fizermos seremos aplastados e diluídos no caldo de cultura desse patético sistema!

         
    • xSGBDx

      04/10/2011 at 13:50

      Não vote. ORGANIZE-SE! :)

       
    • Adelino Braga Machado

      04/10/2011 at 17:01

      Saudações companheiro Barata;não é coerente que façamos vista grossa a realidade que nos salta aos olhos pois, se lhe parece estreita e sectária as posições que você identifica como “Maoistas” o que você diria sobre o “legalismo” que nos impede de providencias concretas no âmbito das lutas de massa?Quando é que deixaremos de rotular essa ou aquela posição que não seja a nossa ?Não nos basta levar o operário a greve sabendo que a justiça “trabalhista” vai dar a sentença a favor do patrão!Não da para jogar apenas com as regras do sistema,a classe operaria consequente não é massa de manobra,tenho plena convicção de que se você souber o que fazemos antes de deflagarmos uma paralisação você vai me chamar de Maoista,mas se o PCR fizer isso para tentar nos impedir de agir assim, só vai me restar reunir o coletivo e defender a ideia que escolhemos equivocadamente o PCR para nos abrigar.Em Botucatu-SP tomamos a iniciativa de debandarmos do PCdoB justamente por que somos marxistas-leninistas e não somos coniventes com o fisiologismo ideológico dessa matilha reacionária e inescrupulosa que a todo custo tenta manobrar o proletariado em prol de seus propósitos eminentemente eleitorais.SE VOCÊ LEU OS COMENTÁRIOS ANTERIORES DEVE SABER QUE EU TRIPUDIO A IDEIA DE APRESENTARMOS CANDIDATOS DO CAMPO “DEMOCRÁTICO POPULAR E PROGRESSISTA” COMO SALVADORES DA PÁTRIA! DIGA O QUE TEM CONTRA O GRANDE TIMONEIRO DA REVOLUÇÃO CHINESA E EU DIGO QUEM TU ÉS!

       
  4. Lucas Evangelista Santos de São Julião

    10/10/2011 at 23:37

    Enfim … To com preguiça de ler tudo , por isso irei comentar só o texto e os tres primeiros comentários … e foda-se o resto todo .
    “Dadas as circunstâncias, após diversos combates travados pelos autênticos comunistas brasileiros é inadmissível avaliar que as eleições burguesas atuais ainda sirvam de alguma forma os interesses da revolução democrática ininterrupta ao socialismo no Brasil.”
    deve-se perguntar oque significa ininterrupta -se é permamente . Que se for , descobrimos a origem do problema . Mas enfim …
    Depende de que forma vc usa a eleição , se vc usa a eleição como :
    A)forma de propaganda comunista
    B)Tem em mente que ela é completamente inútil como ferramenta principal para a revolução
    Você está sendo revolucionário . Se vc acreditou em algum momento , seja qual for que a eleição serviu de alguma outra forma (como leva a parecer q o autor do texto fez , você é um idealista contra-revolucionário). Vale lembrar , que os revolucionários (que acredito que é o caso do PCR) usam o parlamento para
    A)divulgação
    B)Denúncia
    C)proteger os interesses dos operários
    D)Todos esses com o intuito de desgastar o poder político do capitalismo
    Olhando novamente as chamadas dos candidatos , não há nada que vá contra esses príncipios .
    Mas enfim , só bastaria perguntar para essa afirmação um porque? Já que não deu nenhuma explicação aprofundada do porque o uso da eleição não é útil .
    “Qualquer um dos canalhas que ganharem este jogo eleitoreiro não irá mudar a condição de nação capitalista burocrática semifeudal controlada pelo imperialismo ianque, na qual o Brasil se encontra”
    Alguma vez Lênin disse que mudaria ? Alguma vez o PCR disse que mudaria ? Não ! Só o autor disse que mudaria , já que na ATUAL circunstancias é inútil então em algum momento faria diferença SÓ para o autor as eleições são importantes .
    “O período, aparentemente, “pacífico” em que vivemos é um período de organizar as massas para tomar o poder e não enganá-las no mais reles cretinismo parlamentar eleitoreiro. ”
    Existe forma melhor de demonstrar isso , do que mostrar a ineficiencia de tal método o utilizando para os fins já ditos aliado ao trabalho de bases ? Existe parlamentares do PCR ? Se existissem , de que forma estacariam a luta operária se a própria eleição deles seria uma ferramenta para o desgaste do poder político capitalista ? E finalmente , um anula o outro ? Não!
    “Já a vitória de Dilma nas eleições, embora não signifique nenhuma grande mudança em favor dos trabalhadores, será mais uma derrota para a extrema direita e seus planos golpistas e para o imperialismo norte-americano interessado em aniquilar qualquer rebeldia na América Latina.”
    A própria afirmação usada destrói toda a argumentação do texto inclusive a subsequente .

    Agora dos comentários :
    “a oposição que faz na UNE e na UBES”
    O que conseguiram para os estudantes durante anos e anos de oposição? A UNE e a UBES são entidades podres, totalmente dominadas pelos reformistas do PT e PCdoB; são entidades diretamente controladas pelo governo e seu lobby milionário. Não haveria mais benefícios aos estudantes se a UJR agisse somente fora da UNE da UBES? Ou quem sabe a UJR não seja capaz de conseguir apoio popular através de suas próprias ações, pretensamente revolucionárias – é o que parece, ao ficarem dependentes dessas organizações oportunistas.”
    O sindicato é pelego , vamnos abrir outro ?Não ! Isso seria uma boa resposta , mas deixaria de lado , o papel de inúmeras UMES e organizações regionais de estudantes universitários , o subsídio a FENET entre outros . Um bom exemplo do que foi feito é a manifestação pelo passe livre em algum estado do nordeste , acho que pernanbuco onde quem teve um papel importante foi a UMES do local que tomou as ruas … Mas é claro , entidade é pra colecionar e a revolução se faz por controle de entidade e não com ação prática da mesma .

    ” ‘as ocupações nos bairros, vilas e favelas’
    Essas organizações tem seus méritos, mas não são a vanguarda do proletariado brasileiro.”
    Claro é a burguesia que mora em bairros , vilas e favelas , as favelas por sinal é onde se concentra toda a burguesia e pequeno-burguesia brasileira . Os operários moram em ricas mansões , luxuosas e tem lamburgnes . o MLC por sua vez – frente sindical do partido – NÁO TEM FEITO GREVES de garis , NÃO TEM FEITO GREVES dos trabalhadores de fábricas de alimento e finalmente NÃO CRIOU o sindicato dos metalurgicos em algum lugar de MG que eu esqueci e é claro ele NÃO TEM CRESCIDO em todo o país e NÃO TEM SERVIDO a causa revolucionária .

    Sobre as eleições contrapondo-as com o trabalho de massas – um não anula o outro …
    Abraços

     
    • xSGBDx

      11/10/2011 at 19:06

      Eu não disse que os “bairros, vilas e favelas” não possuem valor revolucionário, e sim que as organizações agindo nestes locais, como o MLB e MLC, são superestimadas pelos militantes. Ficou todo nervosinho porque o seu divino PCR foi criticado? Haha

      As razões colocadas por você, camarada, defendem o processo eleitoral, não passam de desculpa esfarrapada típica de reformistas pequeno-burgueses. Usam as eleições, não para fazer propaganda do comunismo, mas para tampar uma certa incompetência no trabalho de massas. Que outro motivo haveria, pois? Ah, claro, conseguir novos membros, algo que é legítimo pela luta, não pelo voto. As eleições sempre foram na prática contrapostas ao trabalho de massas; as eleições não passam de uma grande enganação, fazem o povo pensar que existe algo a ser apostado nessa luta político-ideológica eleitoral, fazem-no cego à luta de classes e disposto a apostar na “revolução proletária através da troca de um governante por outro”.

      “A própria afirmação usada destrói toda a argumentação do texto inclusive a subsequente.” Não destrói. Dilma é apenas mais uma a serviço da burguesia. Entre ela, Serra, Bolsonaro ou Fidélix, por exemplo, não há diferenças na prática; não importa se tal grupo político é dito de extrema-direita, direita, centro-esquerda, extrema-esquerda, etc. E sim SE ESTÁ OU NÃO AO LADO DO PROLETARIADO. Isso que é uma verdadeira análise de classe. Com Dilma, o capitalismo é mantido, a dominação da burguesia, os lucros dos banqueiros, assim como o oportunismo e a aproximação desses maravilhosos “progressistas” e “esquerdistas” do PT com os partidos mais à direita, o que deixa claro que “direita e esquerda” não significa absolutamente nada. Há camaradas do PCR, infelizmente a maioria, que são marxistas-leninistas pela metade, defendem o comunismo apenas no grau em que a direção do partido mandar. Aprendam com Lenin, por favor:

      ‘’Só os velhacos e patetas podem acreditar que o proletariado deve primeiro conquistar a maioria nas votações realizadas sob o jugo da burguesia, sob o jugo da escravidão assalariada, e que só depois deve conquistar o poder. Isto é o cúmulo da imbecilidade ou da hipocrisia, isto é substituir a luta de classes e a revolução por votações sob o velho regime, sob o velho poder.’’

      ‘’O proletariado desencadeia a sua luta de classes sem esperar por uma votação para começar uma greve, embora para o êxito completo da greve seja necessário contar com as simpatias da maioria dos trabalhadores (e, por conseguinte, da maioria da população). O proletariado desencadeia a sua luta de classe, derrubando a burguesia, sem esperar para isso por uma votação prévia (organizada pela burguesia e sob o seu jugo opressor), pois o proletariado sabe muito bem que para o êxito da sua revolução, para o derrubamento com êxito da burguesia é absolutamente necessário contar com as simpatias da maioria dos trabalhadores (e, por conseguinte, da maioria da população).’’

      ‘’Os estúpidos parlamentares e os Luís Blanc dos nossos dias “exigem” obrigatoriamente votações, organizadas sem falta pela burguesia, para comprovar de que lado estão as simpatias da maioria dos trabalhadores. Mas este é um ponto de vista próprio de fantoches, de cadáveres insepultos ou de hábeis trapaceiros.’’

      ‘’A revolução proletária é impossível sem a simpatia e o apoio da imensa maioria dos trabalhadores à sua vanguarda: o proletariado. Mas esta simpatia e este apoio não se obtém subitamente, não se decidem em votações, mas conquistam-se numa demorada, difícil e dura luta de classes. A luta de classe do proletariado para ganhar a simpatia e o apoio da maioria dos trabalhadores não termina com a conquista do poder política pelo proletariado. Depois da conquista do poder, esta luta continua, mas sob outras formas.‘’

       
  5. Lucas Evangelista

    15/10/2011 at 16:53

    Vamos lá …
    Não fiquei nervosinho . Só to falando que vc está substimando os principais trabalhados do PCR e negou o papel revolucionário deles . Nós temos noção dea nosso tamanho , e do trabalho que temos a fazer … ao contrário de outras pessoas …
    Seriamos incopetentes no trabalho de massas se :
    A)Se durante os 2 anos que ficam entre as eleições ficassemos fazendo igual a certos seres que não fazem nada há não ser falar bem ou mal das eleições . As eleições são o último item em nossa agenda de trabalho meu caro .
    B) Tivessemos como participar delas
    C) Trabalho de massas não exclui participação eleitoral . E os que falam isso com tanto afinco em momento algum me disseram UM DOCUMENTO DO PCR que defenda explicitamente troca do movimento de massas pela via eleitoral , muito pelo contrário , só mostram documentos que falam que as eleições são um processo quase inútil na luta de classes . – A única forma de pensar o contrário é não sabendo ler .
    Na verdade há diferença prática , mesmo que quase nula . Por conta disso , não temos a eleição como principal foco , só mais uma ferramenta e de muito pouco valor .
    E só quem não conhece o trabalho de massas do PCR em suas frentes de trabalho (ou tapa os ouvidos – e os olhos – para ele) falam uma asneira dessa .

     
  6. Ozy

    05/11/2011 at 08:18

    Porque partidos como o PCB e PSOL são considerados eleitoreiros? Não entendi.

     

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: