RSS

O mito do igualitarismo marxista — Parte 1

18 ago

Parte 2: https://iglusubversivo.wordpress.com/2011/08/18/o-mito-do-igualitarismo-marxista-2/

Por Paulo Gabriel, do blog Mamayev Kurgan (http://mamayev-kurgan.blogspot.com)

Me impressiono cada vez mais com as pessoas. Elas adoram opinar sobre tudo, e mais ainda, opinar sobre assuntos que não dominam nem o básico. O pior disso tudo é quando essas opiniões passam a ser compartilhadas por milhões, até bilhões de outras pessoas, até que o que era apenas uma idéia incorreta torna-se subitamente a mais pura verdade. Há muitas pessoas – ditos intelectuais até – que baseiam suas idéias política em um erro grotesco do que seria o socialismo marxista. Defendem o capitalismo porque supostamente o socialismo busca a homogeneidade, o igualitarismo em sua forma mais simples e “pura”. Ou seja, para eles, o marxismo seria uma espécie de ditadura que impõe uma roupa igual a todos, casas iguais, produtos iguais, enfim, tudo igual mesmo, inclusive os salários. Daí ocorre uma supressão do individual em prol de uma coletividade homogênea. Surge então uma sociedade estagnada, nada criativa e bastante opressiva.

Agora eu me pergunto, de onde foi que tiraram isso? Dos escritos de Marx e Engels que não foi, já que nem na obra mais básica de todas, “O Manifesto do Partido Comunista”, não há nada disso. Inclusive, eles dizem que no socialismo as pessoas devem ser remuneradas de acordo com sua habilidade e produtividade. Bom, nas experiências históricas também não. Já que os bolcheviques jamais igualaram salários de ninguém, um cientista de grande importância ganhava bem mais que um jardineiro mediano, assim como um operário como Stakhanov ganhava muito mais do que um diretor de fábrica mediano. É importante agora frisar uma idéia básica do marxismo: a igualdade, é a igualdade de classe. Ou seja, deve-se abolir a diferenciação entre donos dos meios de produção e trabalhadores que vendem sua força de trabalho. Em outras palavras, deve-se abolir as classes sociais pra que todos REALMENTE possam ter direitos iguais.

Não é hipócrisia socialista o fato de uma pessoa extremamente produtiva ser herói da nação e viver em um apartamento maior e mais bem localizado que um trabalhador que apenas cumpre suas metas. Não é crime uma pessoa querer buscar algo mais que as outras, querer inovar, querer revolucionar, querer crescer profissionalmente. Não é crime ganhar um salário maior que o outro, ter notas maiores que os outros, não é crime destacar-se na sociedade – senão Lênin seria o primeiro a ser condenado na URSS. A diferença básica entre os sistemas reside em alguns pontos listados a seguir:

*É crime ter direito a uma escola muito melhor que a dos outros;
*É crime ter acesso a um sistema de saúde mais eficiente que o dos outros;
*É crime ter privilégios sobre os outros por uma simples questão de nascimento – questão de classe;
*É crime explorar a força de trabalho alheia para seu próprio enriquecimento;
*É crime enriquecer sem prestar a devida conta à sociedade – ou seja, sem ser produtivo;

Isto é uma simplificação, obviamente há tantas outras diferenças, mas o ponto é demolir este mito do igualiarismo marxista. O marxismo reconhece a importância do indivíduo, sempre reconheceu, porém este indivíduo não deve esquecer que pertence a uma sociedade e que há outros indíviduos que merecem seu respeito. Somos um ser social. E dependemos da coletividade para sobreviver. É inadimissível a exploração do homem pelo homem, é inadimissível o privilégio que os meios de produção oferecem aos capitalistas, é inadimíssivel que se considere iguais em direitos e deveres, pessoas que não nasceram e não usufruem das mesmas condições. Como um favelado pode ser igualado em direitos com um magnata da imprensa? Ele não tem acesso a nada, passa fome, freqüenta escolas caindo aos pedaços, isto quando não leva tiro da polícia e morre aos 20 anos. É muito fácil falar, plim! Vocês são iguais. Mas há realmente base para a igualdade de direitos dentro do regime capitalista? Ele não mantém os mesmos privilégios de classe que, por exemplo, a sociedade feudal? É apenas um pouco mais maquiado e um pouco mais aberto para a ascensão de classes, mas isto não o torna democrático.

Quando se abole as classes, quando se provide educação de qualidade e de graça, além de um ambiente saudável e pouco violento a toda uma população, você elimina a problemática dos privilégios quase que por inteira. Aí sim é possível ter igualdade de direitos e democracia. A burguesia revolucionou o mundo com sua lógica, deu os primeiros passos de uma sociedade democrática, mas esta revolução já tornou-se obsoleta, reacionária. É necessário a superação do capitalismo para que a igualdade, a fraternidade e a libedade venham realmente entrar em cena à toda a população humana, e não a uma minoria privilegiada.

É completamente errado apelar a este espírito igualitarista do marxismo para atacá-lo, demonizá-lo. É preciso analisar melhor o que se passou na União Soviética marxista-leninista (já que na revisionista foi bem diferente e, neste sentido devo dizer que talvez a base de toda essa déia resida no revisionismo soviético, já que aí sim, havia uma busca pela igualdade indistinta de salários) antes de sair esboçando críticas pouco concretas e por demais idealistas, ou melhor, ideológicas. A própria idéia leninista, que coloca um Partido como vanguarda classe operária rejeita esta homogeneidade social. É uma idéia simples de que os mais capazes, que os dotados de mais recursos, devem guiar os desamparados à vitória contra seus opressores, caso contrário, dificilmente sairiam da situação de explorados e alienados. Isto supõe uma diferenciação entre os indivíduos, mas esta diferenciação não justifica a dominação, pois ela é, em muitos sentidos, fruto desta dominação. Porque um operário não teria a mesma capacidade de Lênin? Pois Lênin teve acesso a tudo que havia de mais evoluído na sociedade da época, enquanto o operário mal fora alfabetizado, além de viver na penúria, na fome, na violência.

Ao contrário do que aquele e-mail direitista que rola na internet, a sociedade não dá as mesmas condições às pessoas do mesmo jeito que uma universidade em particular dá aos seus alunos (de uma maneira ideal, excluindo qualquer diferença de classe, qualquer manifestação de preconceito, qualquer problema individual). O aluno A e o aluno B receberam a mesma bibliografia do professor, têm o mesmo professor, ficam na mesma sala de aula, têm a mesma biblioteca para poder estudar, entre outras coisas. Mas o A tirou 5 e o B tirou 10 na prova. E aí? Isto prova que indivíduos são diferentes. Mas e se, nessa universidade, o estudante B tivesse acesso a um professor melhor, a livros melhores, a ambientes melhores, que o estudante A? Será que a nota do B não seria inluenciada por seus privilégios? Será que o estudante A não está sendo injustiçado?

Enfim, esta idéia das notas é bem tosca e cheia de furos, além de bastante simplista. Tentei usá-la apenas para fins didáticos. O fato é que um comunista marxista jamais pensou em igualar todo mundo e transformar a sociedade em algo homogêneo. A idéia é igualar as oportunidades, é igualar em direitos, é abolir este privilégio ambulante chamado de classe social, é a justiça social plena. Em que cada um seja remunerado por sua contribuição social, sua produtividade, sua habilidade. E que as pessoas sejam vistas como pessoas mesmo, e não como mercadorias e simples objetos que devem ser usados para se enriquecer, para se buscar a fama e para satisfazer a ganância e o ego.

O mito do igualitarismo marxista não passa disto, de um mito. A igualdade é a igualdade de classes. Sem classes, sem privilégios. Sem privilégios, surge a verdadeira democracia.

*Nota de complemento: Com este post, não quero dizer que havia ricos e pobres na URSS bolchevique – como pode ser interpretado quando eu falei que trabalhadores destacados receberiam mais do que os que apenas cumpriam as metas. A diferença nunca chegava a ser avassaladora como nos regimes capitalistas. Um revolucionário da produção industrial como Stakhanov – sempre uso seu exemplo, pois ele se tornou o “trabalhador modelo” de sua época – receberia aumentos salariais, incentivos materiais, mas ele não ganharia milhões de rublos. Talvez poderia alcançar uma diferença de 3, 4 vezes o salário mediano, jamais 100 vez – e acima até – como ocorre no desigual capitalismo. Até porque o maior incentivo aos trabalhadores vinha da Emulação Socialista, e não de incentivos puramente materiais – o que muda bastante com a vitória do revisionismo kruschovista.

Vale ressaltar que a Emulação Socialista não é puramente bobeira ideológica do regime, ela teve papel fundamental no crescimento gigantesco da URSS dos anos 30, 40 e 50. Inclusive, o Museu da Emulação Socialista de Moscou passou a receber cada vez mais visitas de empresários capitalistas em busca de alternativas para o aumento da produção de suas empresas, alternativas que não apelassem ao puro e simples aumento do estímulo material. Os maiores freqüentadores do Museu foram japoneses, que logo conheceriam seu “boom” econômico.

Recomendo a todos a entrevista com o ex-Comissário do Povo para a Agricultura, Ivan Aleksandrovich Benediktov – disponível em português no site “Para a História do Socialismo” http://www.hist-socialismo.com/docs/Benedictov.pdf – a qual ele explica um pouco da diferença das políticas trabalhistas bolcheviques para as políticas trabalhistas do revisionismo kruschovista. Além de salientar a forte presença japonesa nos salões do Museu da Emulação Socialista de Moscou.

 
2 Comentários

Publicado por em 18/08/2011 em Marxismo

 

Tags: , ,

2 Respostas para “O mito do igualitarismo marxista — Parte 1

  1. jaspion

    04/12/2012 at 23:59

    1-“no marxismo: a igualdade, é a igualdade de classe.”
    Porque um juiz que fez mestrado, doutorado e estudou muito deveria ter o mesmo salario que um motoboy que teve a chances de estudar mas não quis e preferiu só viver de festas e put4ria??

    2-“É crime ter direito a uma escola muito melhor que a dos outros;
    *É crime ter acesso a um sistema de saúde mais eficiente que o dos outros”
    Porque isso seria um crime?
    Quer dizer que um homem rico não pode usar seu dinheiro pra dar o melhor aos seus filhos?? O socialismo não respeita a LIBERDADE deste homem de poder dar o melhor aos filhos???
    Socialismo vê isso como um crime??
    Nossa que ideologia linda

    3-”É crime ter privilégios sobre os outros por uma simples questão de nascimento”
    Meu amigo, saia do coma. No capitalismo isso não existe.
    Pois nele, uma pessoa pobre pode ficar rica se se esforçar ou tiver boas ideias e da mesma forma uma pessoa rica pode ficar pobre se não souber administrar seus bens. No capitalismo a pessoa pode passear pelas classes sociais; diferente do que acontecia no período pré-capitalista o chamado Feudalismo: onde quem nascia rico morria rico e quem nascia servo morria servo. Isso foi no passado,hoje em dia não é mais assim. O capitalismo permite “mobilidade social”
    4-É crime enriquecer sem prestar a devida conta à sociedade – ou seja, sem ser produtivo”
    Neymar e vários cantores de sertanejo universitários ficaram ricos justamente por oferecer um serviço a sociedade, se é bom ou não somente s consumidores podem dizer. Se dependesse de mim eles seriam pobres, pois não tenho interesse no serviço deles. Mesmo assim acho totalmente justo eles receberem pelo que oferecem, você não acha ?
    Cada qual tem o direito de consumir o produto que quiser. O capitalismo permite essa LIBERDADE de escolha.
    5-“O marxismo reconhece a importância do indivíduo, sempre reconheceu, porém este indivíduo não deve esquecer que pertence a uma sociedade e que há outros indíviduos que merecem seu respeito”
    Eu não vejo motivos para um bandido estuprador merecer respeito tanto quanto eu que sou um homem de bem trabalhador esforçado e lutador. Somos todos iguais e todos merecem respeito uma pinóia. Poucas pessoas merecem respeito nesse mundo.
    Saia desse seus mundinho de fantasia de achar que seres humanos são 100% bonzinhos e altruístas. Isso so existe na mente fantasiosa dos socialistas.

    6-”É inadimissível a exploração do homem pelo homem”
    Tiger Woods fcou rico no sistema capitalista explorando quem ??? ninguém.
    Será que ele conseguiria essa façanha no sistema Socialista???

    7-“Como um favelado pode ser igualado em direitos com um magnata da imprensa”
    O que impede um favelado de estudar, conseguir muita grana e virar um magnata da imprensa?? Para de ficar usando esses argumentos clichês de “vitimismo do povo”. Tá usando apenas falácia do apelo a emoção.

    8-“Ele não mantém os mesmos privilégios de classe que, por exemplo, a sociedade feudal? É apenas um pouco mais maquiado e um pouco mais aberto para a ascensão de classes, mas isto não o torna democrático.”
    Eu já comentei essa. No feudalismo não havia “mobilidade social”. Quem nascia rico morreria rico, quem nasce servo morrer servo. Mas no sistema atual, qualquer um pode crescer na vida e ficar rico.

    9-“Quando se abole as classes, quando se provide educação de qualidade e de graça, além de um ambiente saudável e pouco violento a toda uma população, você elimina a problemática dos privilégios quase que por inteira. Aí sim é possível ter igualdade de direitos e democracia”
    No sistema socialista continua existindo ricos e pobres.
    Ricos são as pessoas que trabalham no governo e pobres são os “proletariados iguais”.
    Vide Fidel Castro, Hugo Chavez, Stalin….kkkkkkkkkk

    10-“ É necessário a superação do capitalismo para que a igualdade, a fraternidade e a libedade venham realmente entrar em cena à toda a população humana”
    Óh que argumento fofo. Quase chorei de emoção!
    E que tal se o povo parasse de se fazer de vitima e fosse a luta e fizesse um eforço pra melhorar de vida ??? hum? Tem alguém os impedindo??? O capitalismo está impedindo-lhes???
    Na boa, achei o seu texto muito fraquinho
    vou indicar alguns livros pra vc ler e sei que vc é razoavelmente inteligente e vai ler todos. Eu não quero fazer vc virar um apoiador do capitalismo não isso. Longe de mim fazer algo assim. Eu apenas gostaria que vc revesse alguns pontos do seu discurso aqui no texto.
    http://www.google.com.br/url?q=http://www.mises.org.br/files/literature/calculo_socialismo.pdf&sa=U&ei=Dbi-UIr3N8bY2QWC6ICwCQ&ved=0CBYQFjAA&usg=AFQjCNFG_-GbN18wVyCWHrwVL-KpBK16Eg
    http://www.google.com.br/url?q=http://www.mises.org.br/files/literature/As%2520Seis%2520Li%25C3%25A7%25C3%25B5es%2520MISES.pdf&sa=U&ei=Gri-UJ7LGoXM2gWy0oC4Bg&ved=0CBoQFjAB&usg=AFQjCNEVhzdzEtrpQAaHJgpqiJGOYtRlrA

    http://www.google.com.br/url?q=http://www.mises.org.br/files/literature/O%2520CAMINHO%2520DA%2520SERVID%25C3%2583O%2520-%2520WEB.pdf&sa=U&ei=Jri-UKn3C4Pk2AXzyoHwDw&ved=0CBYQFjAA&usg=AFQjCNEv5ulKEhGvfePmS7wanHlSvzXQIg

    http://www.google.com.br/url?q=http://www.mises.org.br/files/literature/A%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520Humana%2520-%2520WEB.pdf&sa=U&ei=JLi-UK2MLuaC2AWaSw&ved=0CBYQFjAA&usg=AFQjCNHqvBGTriXRK7pLbS5dM_HXbgg11w

     
    • xSGBDx

      16/12/2012 at 21:38

      “Porque um juiz que fez mestrado, doutorado e estudou muito deveria ter o mesmo salario que um motoboy que teve a chances de estudar mas não quis e preferiu só viver de festas e put4ria?”

      Qualquer marxista concordaria com você. Não deve mesmo ganhar a mesma coisa. Aprenda marxismo com as fontes originais; Instituto Mises só vai te levar a isso aí mesmo, falácias que nada tem a ver com a realidade (seja a realidade da teoria marxista, ou o que a burguesia chamou de “socialismo real”).

      “Quer dizer que um homem rico não pode usar seu dinheiro pra dar o melhor aos seus filhos?”

      No capitalismo, é claro que pode. Porém, isso significa que existem diferentes sistemas educacionais. Por que, agora pergunto a você, uma pessoa deve ter o direito a uma educação melhor somente por possuir mais dinheiro? E aquele que é de uma família pobre, que está fadado, portanto, a permanecer em um sistema educacional mais precário e ver suas “grandes” chances de “crescer na vida” diminuídas, ou numa velocidade bem mais baixa que um morador de alguma área nobre de Sampa, por exemplo.

      “No capitalismo isso não existe.”

      Existe. Ou o filho do Eike Batista tem tanta oportunidade quanto um morador da favela? Não seja ingênuo, rapaz.

      É lógico que não é igual ao feudalismo, assim como a mobilidade social é limitada por uma série de fatores, entre eles, ainda, o nascimento. Isto é, a condição social da família que o criou.

      O ponto 4 nada tem a ver com o setor de serviços ou com a possibilidade ou não de escolher o produto que quiser.

      No ponto 5 você novamente fala besteiras, já que sequer o autor do texto fala de bandidos ou estupradores. A mensagem desse trecho é aos indivíduos egocêntricos e aos torpes defensores do individualismo, um lembrete de que todo indivíduo necessita dos outros membros da sociedade para sobreviver.

      Se Tiger Woods não explora ninguém, por que raios o citou?

      “O que impede um favelado de estudar, conseguir muita grana e virar um magnata da imprensa?”

      A falta de acesso a uma educação de qualidade. Ter nascido numa família pobre torna a tarefa de “conseguir muito grana” bem mais árdua. Para exemplo de comparação, enquanto o filho do empresário herda a empresa do pai, o filho do sapateiro trabalha desde cedo na oficina do pai. Realmente, quão igualitárias são as oportunidades!

      “No sistema socialista continua existindo ricos e pobres.”

      Naturalmente, principalmente por ser uma sociedade que advém diretamente de uma sociedade capitalista.
      Aliás, o que define classe social não é a renda, é a função que cada um exerce na sociedade.
      Um trabalhador que se esforça mais tem, sim, o direito de ter uma renda maior.

      “Ricos são as pessoas que trabalham no governo e pobres são os “proletariados iguais”.”

      Vou dar um exemplo, coisa que você não tem: na URSS havia proletários que ficavam ricos por causa dos bônus de produtividade, como Stakhanov.
      Aliás, Stalin ganhava o mesmo que um operário comum. Então sua frase não passa de um preconceito estúpido.

      “Vide Fidel Castro, Hugo Chavez, Stalin….kkkkkkkkkk”

      Repetindo, renda não define classe social. E Fidel era rico já antes da revolução cubana. Chávez também; o qual, aliás, não é marxista, além de ser maçon.

      “Tem alguém os impedindo??? O capitalismo está impedindo-lhes???”

      Em uma sociedade de classes, NECESSARIAMENTE, para que tal sociedade possa existir e se expandir, uma minoria empresarial é privilegiada às custas da exploração capitalista do trabalhador (este, sem propriedade de produção, ganhando somente por uma parte do trabalho exercido e sem possibilidade alguma de ver a democracia proletária numa empresa capitalista).

       

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: